” Bondage, a Arte de Conter para Libertar ”

Bondage é o Fetiche de Conter, Privar, Amarrar ou Ser Amarrado.

Apesar de ser uma arte erótica, o ato sexual pode não estar envolvido, o objetivo é estimular os prazeres sensoriais. Muito comum entre os praticantes do BDSM, ( Bondage, Dominação, Sadismo E Masoquismo) é sem dúvida, uma das principais práticas entre os dominantes e os seus submissos.

Vendar, amarrar e algemar são as formas mais comuns de se praticar o Bondage.

As mais extremas envolvem total privação de movimentos e de sentidos, com estímulos de prazer ou dor.

Quais são os materias mais comuns usados pelos bondagistas?

Cordas de juta ou algodão

Algemas

Fitas adesivas

Filme plástico ( mumificação)

Ataduras

Gravatas

Cintos

Vendas

Lenços e echarpes

Do suave ao extremo

O Bondage pode ter por objetivo aquecer a relação, provocar sensações corporais, estimular os sentidos, ampliar a conexão entre os parceiros, ou, entre sádicos e masoquistas provocar dor, privação extrema de movimento com compressão do corpo e até limitação de respiração, como no caso da mumificação.

Como domme de Bondage que sou, a mumificação é o ápice do Bondage. Nessa técnica todo o corpo do bondagista passivo é envolto por filme plástico e fitas, inclusive olhos e nariz e um furo é feito na boca para que a pessoa respire por uma mangueira ou canudo.

É necessário conhecimento da técnica e medidas de segurança para praticar o Bondage.
Uma dica importante de segurança é não amarrar as articulações, nem o pescoço e jamais deixar a pessoa amarrada sem total supervisão .

É necessário também ter à mão uma tesoura para cortar a corda rapidamente em caso de emergência.
Uma palavra de segurança deve ser combinada e a pessoa deve ser desamarrada imediatamente ao pronunciar a palavra.
Shibari , a arte erótica com cordas

Originária de uma antiga arte japonesa, era praticada pelos samurais com o objetivo de conter seus prisioneiros. Com o passar do tempo foi se tornando uma arte erótica. A principal característica do Shibari é realçar as formas do corpo, enfatizando as curvas, formas geométricas, sensualidade, força e vulnerabilidade.

Além disso, o posicionamento das cordas e nós cria pressão em pontos de acupuntura e segundo os praticantes é como uma meditação, onde experimentam uma profunda sensação de paz e tranquilidade.

Na minha opinião, as cordas são extensões de mim, através das quais as minhas emoções e energia fluem para a pessoa que está sendo amarrada.

Dependendo do objetivo da amarração e da técnica utilizada, as cordas podem lembrar um abraço ou no outro extremo uma jibóia pressionando o corpo. Tudo depende do que foi acordado entre os praticantes.

Independente da técnica utilizada, o Bondage é capaz de mexer com as nossas emoções.

A sensação de privação de movimentos e limitação de sentidos ativa mecanismos de defesa, liberando neurotransmissores como endorfina, adrenalina, oxitocina e dopamina. Existem bondagistas profissionais que oferecem sessões individuais ou para o casal. Assim como existem cursos para ensinar as técnicas da arte com as cordas.

Segurança e consensualidade são sempre as palavras chaves para que o fetiche seja um caminho de prazer.

Duas dicas de como utilizar o Bondage pra apimentar a relação:

Vendar, amarrar as maos e acariciar a pele utilizando materiais diferentes ( pluma,gelo, etc)

Vendar, amarrar, utilizar fones de ouvido com músicas que ela goste e estimular orgasmos com vibradores ou sexo oral de forma contínua até que ela utilize a palavra de seguranca( palavra combinado entre os parceiros que faz qualquer prática.

Entrem na Pagina do Blog no Acompanhantes Porto Velho Para Ver Mais Dicas e Historinhas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + um =